17 JUN

SAMUEL ÚRIA

Samuel Úria tem algo de novo para contar e que nos fará chegar em forma de canções: Carga de Ombro é o título do mais recente álbum. Um conjunto de temas uma vez mais ímpar, que confirma a profecia de que estarmos perante alguém “meio homem, meio gospel, mãos de fado e pés de roque enrole”.
Responsabilidade assinalável esta, a de Carga de Ombro, em suceder a Em Bruto (2008), Nem Lhe Tocava (2009), A Descondecoração de Samuel Úria (2010) ou O Grande Medo do Pequeno Mundo, o álbum publicado em 2013 que levou Samuel a percorrer o país nos últimos anos, ou ainda as composições que criou para artistas como Kátia Guerreiro, Clã, HMB ou Ana Moura.
Para muitos será já uma redundância destacar as singularidades na escrita, nas melodias ou até na sua relação com o público, mas a verdade é que Carga de Ombro é quase uma epifania sobre estas distinções na sua personalidade artística – a distância que Samuel Úria nos faz percorrer entre o “amparo” e a “provocação” é tão tenuemente grande que mais do que nunca nos reveremos no verso da canção que dá título ao disco “põe o teu ombro junto ao meu, carga de ombro é legal”.